Skip to content

Materiais para tatuador: Equipamentos necessários para iniciar carreira

Materiais para tatuador

Ser tatuador não é um trabalho tão simples assim, além da habilidade para desenhar e capacitação profissional, é preciso ter um estúdio aconchegante e trabalhar com equipamentos e materiais para tatuador de primeira linha. Para não se prejudicar e, principalmente, garantir a saúde e bem-estar do seu cliente.

O procedimento da tatuagem consiste em perfurar a pele, injetando tintas especiais. Por este motivo, é essencial que você trabalhe em um local higienizado e com os materiais necessários para realizar o procedimento. É importante ainda trabalhar exclusivamente com materiais que sejam testados e aprovados pela ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

Abriu o seu estúdio ou pretende abrir mas tem alguma dúvida sobre quais materiais devem ser comprados? Bem, neste artigo iremos te ajudar com isso, separamos os mais utilizados para explicar suas funcionalidades e vantagens. Continue a leitura e saiba tudo sobre os materiais para tatuador.

Equipamentos e materiais para tatuador

Agulhas usadas na tatuagem

Apesar de pequenos e visualmente ocuparem pouco espaço, os materiais usados para uma tatuagem são muitos.

As agulhas para tatuagem precisam ser mais precisas que as convencionais, por isso são afiadas a laser. Outra diferença considerável entre sua irmã usada para costura é que a de tatuagem possui várias agulhas extremamente finas em uma só, elas ficam agrupadas e são soldadas a uma aste. Isso faz com que diferentes tipos e formatos de agulha sejam criadas, uma para cada necessidade do tatuador.

As agulhas de traços como o próprio nome diz serão as responsáveis por trabalhar os traços do desenho da tatuagem. Elas podem conter 3 ou até mais de 15 agulhas agrupadas e soldadas a ela. Quanto menor for o número de agulhas agrupadas, mais fino será o traço proporcionado por ela. Ou seja, a agulha de traços com 3 agulhas agrupadas oferece o traço mais fino possível. Já as que possuem mais de 15 agulhas agrupadas, terá um traço mais grosso. Novamente a utilização de uma ou outra dependerá das necessidades do desenho a ser feito pelo tatuador.

Temos também as agulhas de pintura, elas geralmente são soldadas lado a lado, de forma perceptível. Ou seja, elas não ficam agrupadas como nos dois casos anteriores, as agulhas de pintura ficam em um formato que mais lembra um pincel na verdade, chamados de flat. Existe uma agulha chamada magnum, ela é feita a partir da soldagem de duas camadas de flat, que são separados por uma gilete ou outra estrutura. O objetivo de prender cada agulha lado a lado é de conseguir preencher mais espaço. Segue bem a linha do pincel convencional mesmo. Essas agulhas são boas também para fazer sombras e por não irem tão fundo na pele como as outras, agridem menos o corpo.

Esterilização e outros materiais para tatuador

As agulhas jamais devem ser reutilizadas dado o seu risco de transmissão de doença. Precisamos lembrar sempre que esse material entra em contato com o sangue do cliente, logo o risco de infecção ou transmissão de doença é alto, devendo então ser descartado logo após uso.

No momento de compra das agulhas o tatuador pode escolher dois tipos distintos. Aqueles que já vem esterilizados e são embalados separadamente no tamanho de preferência, ou os que vem em caixa fechada, com mil unidades. No segundo caso, tanto a esterilização, quanto a soldagem das agulhas serão feitas pelo profissional.

As hastes de aço que são soldadas as agulhas podem ser reutilizadas pelo fato de não entrarem em contato com a pele. Assim, após o procedimento o profissional pode retirar a haste, esterilizar e usar novamente.

As biqueiras nada mais são que tubos de aço cirúrgico, elas possuem uma ponta fina, em formato de agulha. Dentro delas serão colocadas as agulhas, depois de esterilizadas para a realização da tatuagem. O objetivo das biqueiras é fazer com que a agulha fique alinhada na máquina de tatuagem. Fator que trás ao profissional a segurança para poder segurar com firmeza a máquina e poder fazer a tatuagem com a maior precisão possível.

Assim como as agulhas, as biqueiras também possuem tamanhos distintos, justamente para se adequar as agulhas. Ou seja, elas vão desde o traço mais fino até o mais grosso. As biqueiras podem ser reaproveitadas, porém assim como todos os materiais, deve ser esterilizada.

Leia também:

Materiais para o tatuador começar

A máquina de tatuagem e sua estrutura

Uma máquina de tatuagem possui estrutura muito distinta da máquinas de gravação convencional. Até porque, de forma lógica, aqui estamos falando da pele humana, muito mais sensível que as superfícies duras usadas nas máquinas de gravação. As máquinas de tatuagem usam de bobinas eletromagnéticas, A primeira, de 1891, foi criada por Thomas Riley, já a primeira com bobina dupla (antecessora da moderna) foi criada em 1899, pelo inglês Alfred Charles.

A estrutura dessas máquinas inclui muitas peças, das quais temos:

  • Chassi: aqui todas as peças da máquina serão encaixadas, pode ser considerado o “esqueleto” da máquina;
  • Mola traseira: estabelece a tensão exata que deve ser dada ao suporte da agulha;
  • Posto de cima: regula a velocidade da máquina e também a abertura da chave do relê;
  • Bobinas: Produzem a F.E.M. que irá puxar o suporte da agulha;
  • Mola dianteira: Responsável por determinar o tempo de “liga e desliga” da chave de rolê;
  • Suporte de agulhas: Nele a haste da agulha irá se encaixar e movimentar;
  • Chave de relê: Serve para regular a velocidade de operação da máquina;
  • Trava de tudo: Trava o tubo da biqueira na máquina;
  • Capacitor eletrolítico: Serve para eliminar a energia cinética nas bobinas ao ligar e desligar o relê, fazendo uma economia na própria máquina;
  • Engate do tubo: Uma parte do chassi onde se engata o tubo na biqueira.

É importante ainda destacar que para o funcionamento da máquina, outras peças são importantes. É o exemplo do pedal, do clip-cord e a fonte, usadas para liberar ou tirar a energia da máquina de tatuagem, conduzir a energia da fonte até a máquina e regular a amperagem e voltagem destinada a ela, respectivamente.

Tintas

As tintas para tatuagem, antes de mais nada, precisam estar liberadas pela Anvisa. Logo, muito cuidado no momento de sua compra. É importante dizer também ser necessária a compra de uma quantidade boa de variações de cores, expandindo as possibilidades do seu trabalho. Tintas de boas marcas costumam ter uma durabilidade muito maior na pele das pessoas, com menor risco de desbotamento, leve isso também consideração.

Conclusão

Pronto, agora você já sabe tudo sobre os materiais para tatuador. Espero que tenha gostado do conteúdo!

Continue conosco, você fez alguma tatuagem a se arrependeu dela? Provavelmente já procurou saber formas rápidas de se retirar uma tatuagem, mas será que funcionam? Falamos nesse artigo sobre os cremes para remoção de tatuagem tão falados na internet, será que eles entregam o resultado prometido? Acesse então nosso artigo e descubra!