Skip to content

História da Tatuagem: De 3.000 A.C até os dias atuais

História da Tatuagem

Tudo sobre a história da tatuagem! É impossível negar que as tatuagens hoje são um sucesso pelo mundo. Sua popularidade cresceu tanto, que apenas em 2017 aqui no Brasil seu mercado cresceu 27%. Fato surpreendente se levarmos em consideração a crise que afetou tantos outros negócios.

— Apesar de ser “novidade” para alguns, a história por trás das tatuagens é muito mais antiga do que você possa imaginar. Existem registros da prática desde 3000 anos antes de Cristo.

São histórias distintas, que passam por povos distintos com suas culturas. Para cada uma delas essas tatuagens tinham um significado, como símbolos de virilidade e até para marcar criminosos. Vamos neste artigo falar um pouco sobre a história da tatuagem até os tempos atuais.

Quando a tatuagem foi registrada pela primeira vez?

Os primeiros registram são datados de 3370 e 3100 anos antes de Cristo. Quando um fóssil humano chamado de a Múmia do Similaun foi encontrado e nele foram continham 61 tatuagens. Os lugares de seu corpo onde haviam tatuagens coincidiam com pontos usados na acupuntura. Relacionando a prática de cura ancestral a partir de desenhos marcados na pele.

Muitas outras múmias com tatuagens foram encontradas pelo mundo, demonstrando que a prática era relativamente comum e havia surgido de maneira global, onde em cada local existia o seu contexto.

No antigo Egito, por volta de 3100 anos antes de Cristo, mulheres eram “marcadas” a partir de tatuagens. A intenção era de mostrar que elas eram do harém do rei, ou que passariam por rituais. As grávidas também eram tatuadas, acreditava-se que os desenhos em suas coxas, abdômen e peito protegia o bebê, fazendo com que o parto ocorresse da forma segura.

Essas tatuagens eram feitas a partir de instrumentos construídos com ossos e a tinta vegetal era usada na aplicação. Apenas a camada mais superficial da pele era pintada, em um processo que hoje, se assemelha ao Stick and Poke Tattoo.

O uso da tatuagem entre os romanos

Apesar de na maioria das civilizações a tatuagem representar algo positivo, como força ou virilidade, entre os romanos a prática representava algo bem diferente. Pelo menos no início, toda pessoa tatuada era um escravo, criminoso ou condenado. Onde a tatuagem então na verdade servia para marcar essas pessoas para que nunca fossem confundidas com cidadãos comuns.

Porém, com o passar dos anos esse cenário mudou, o exército romano passou a usar tatuagens. A ideia inicialmente era de deixar todos os soldados marcados de modo a evitar possíveis desertores. Porém, com o passar do tempo, os próprios soldados passaram a se tatuar, com o objetivo de simbolizar sua coragem e conquistas em guerra.

Essa influencia se deu aos bretões e celtas, povos que foram conquistados pelos romanos e usavam das tatuagens uma forma de simbolizar no corpo suas patentes e conquistas. No século 11, as tatuagens ganharam ainda mais um significado entre os romanos durante as cruzadas. Aqueles que continham a cruz tatuada em seu corpo tinha direito a ser enterrado como um cristão caso morresse em batalha. Porém, ironicamente foi justamente o cristianismo que condenou a tatuagem como profanação do corpo. Assim, durante a Inquisição Católica, as tatuagens foram banidas de toda a Europa.

Leia também:

A tatuagem no mundo oriental

Na China, as tatuagens eram vistas de forma bastante marginalizada, inclusive como algo indesejado e uma profanação do corpo. Ela era usada também para marcar criminosos que iriam para o exílio. A prática passou a ser usada pelos próprios criminosos que passaram a criar seus próprios desenhos.

Alguns grupos menores da China usavam a tatuagem de acordo com sua cultura. O grupo étnico que vivia às margens de Dulong, por exemplo, acreditava que ao tatuar o rosto de suas mulheres, conseguiria prevenir possíveis estupros feitos por invasores. Essa tradição permaneceu durante muito tempo, inclusive após não existir mais tais grupos.

Outros grupos usavam dos desenhos para marcar a passagem da vida adulta. Assim, meninos e meninas de 13 e 14 anos eram tatuados. Enquanto as meninas recebiam tatuagens nas mãos, braços e uma pequena parte da sobrancelha, os meninos recebiam tatuagens de dragões, tigres ou qualquer outro animal que pudesse demonstrar a sua virilidade.

Já no Japão, a técnica ficou muito estigmatizada por fatos históricos que marcaram o país. Inicialmente elas eram usadas, assim como na China, como marcação de criminosos. Era na verdade uma punição por seus crimes e uma marcação para o exílio. Fato que foi amenizado durante a era Tokugawa, onde a resistência passou a usar símbolos representando sua luta conta a repressão que ocorria na época.

Porém, logo depois, a tatuagem ficou novamente marcada por algo muito negativo ao país. A máfia Yakusa, causadora de muitas mortes, usava de tatuagens para marcar seus associados. Isso foi levado por gerações pelos japoneses, que até os dias de hoje possuem muito preconceito pela arte.

História da Tatuagem

As técnicas usadas durante a história da tatuagem

É fato que nem sempre tivemos os equipamentos disponíveis para se fazer tatuagens como temos hoje. Antes da invenção de qualquer máquina para fazer tatuagem, os procedimentos consistiam em perfurar a pele usando instrumentos que fossem pontiagudos. Assim, o tatuador fazia, ponto por ponto, a forma do desenho pretendido. No Japão por exemplo, o bambu era afinado e usado.

Já no Pacífico, provavelmente você não se sentiria nem um pouco bem ao fazer uma tatuagem. Isso porque ela era feita com um instrumento usado para bater e um instrumento feito de osso, bastante pontiagudo, com o objetivo de substituir nossa agulha. Assim o osso era batido na pele da pessoa e por cima do ferimento era passado carvão noz-moscada.

A história da tatuagem e suas máquinas, mudou a partir do século XIX quando a primeira máquina de tatuagem foi criada. Na verdade ela era uma adaptação da máquina de Thomas Edison, feita para copiar documentos.

Samuel O’Reilly criou a máquina rotativa, nela a velocidade podia ser ministrada por um pedal. Ainda após, as máquinas de bobina hidráulica foram criadas e são bastante usadas até os dias de hoje. Porém nos anos 2000, Carson Hill lançou a máquina pneumática, que deve ser tendência. Ela pode ser movida a gás e possui um processo de esterilização muito mais simplificado que de todas as outras máquinas.

A tatuagem chegou no Brasil apenas em 1959 com o dinamarquês Knud Harald Lucky Gegersen. Seu estúdio ficava em Santos e seus frequentadores eram principalmente marinheiros. Outro grupo muito marcado pelo uso de tatuagens como simbolo de suas causas. Na época a tatuagem não era bem vista no país, sendo geralmente relacionado a criminalidade ou depravação. Infelizmente, até os dias de hoje, ainda existe um grupo de pessoas (muito menor que na época) que pensam assim.

Conclusão

Poderíamos falar ainda mais sobre a história da tatuagem e várias passagens da humanidade onde as tatuagens estariam presentes. Mas acredito ter passado pelos mais simbólicos e importantes quando falamos de seu surgimento. Nos dias de hoje, muitas pessoas possuem tatuagem e os preconceitos envoltos a arte diminuem. As mulheres se apresentam como o público que mais adota a prática, sendo quase 60% das pessoas tatuadas no Brasil.

Gostou desse conteúdo? Compartilhe ele então com seus amigos e familiares, nos ajude na divulgação. E continue lendo nosso conteúdo. Pretende ou conhece alguém que quer retirar sua tatuagem? Saiba tudo sobre a remoção feita a laser, envolta dela muitas lendas são contadas, preparamos um conteúdo explicando quais são verdadeiras e quais não são, dê uma conferida clicando aqui.